A nova consciência da espécie Homo sapiens sapiens

Num tempo muito distante da história da humanidade foi percebido por alguns seres que aqui estiveram, que depois da presença do patriarca Enoque um segmento da espécie Homo Sapiens Sapiens manifestou um comportamento diferente do que era de costume pensar sobre Deus.

Ipira City

Num tempo muito distante da história da humanidade foi percebido por alguns seres que aqui estiveram, que depois da presença do patriarca Enoque um segmento da espécie Homo Sapiens Sapiens manifestou um comportamento diferente do que era de costume pensar sobre Deus. Foi possível se fazer a distinção entre o comportamento de Javé (JHVH) e o comportamento de Deus Pai (ABBA), mas como tudo aquilo que apresentasse um conhecimento diferente sobre Deus foi perseguidos pelos católicos na Idade Média que pretendiam apresentar a única versão das Escrituras Sagradas, estes evangelhos ou sumiram ou sobrevivem em Sociedades Secretas.

Acontece que estes evangelhos apócrifos foram descobertos e os conhecimentos daquilo que era difundido pelo Catarismo chegou ao conhecimento público. Isso possibilitou um despertar de consciência do ser humano sobre o conceito de Demiurgo do filósofo Platão. Após a noção destes conhecimentos antigos a humanidade apresentou condições para que esse tema voltasse a ser abordado. Daí o escritor Oswaldo Carvalho publica a obra: “Deus Incoerente??? Essa Não!!!” o escritor Robson Pinheiro publica a obra: “Os Abduzidos” e o escritor Jan Val Ellam publica a trilogia: “O Drama Cósmico de Javé”, “O Drama Espiritual de Javé” e o “Drama Terreno de Javé”. Estas obras esclarecem a diferença entre Javé e ABBA.

A questão maior dessa nova consciência da espécie Homo Sapiens Sapiens é que ela não despertou em todos os seres. Portanto, esse texto tem a pretensão de dizer que nós, que somos a quinta Sub Raça Ariana, estamos sendo convidados a assumir uma postura madura diante destas revelações sobre tudo aquilo que passaram anos nos respondendo com qualquer preceito capaz de reprimir os devidos porquês que a consciência humana ousou formular. É como passar anos sustentando no psiquismo de uma criança que ela foi trazida por uma cegonha e que a sua mãe encontra-se em repouso por que a cegonha bicou a sua perna. É daí que é possível compreender o ateísmo, pois as respostas dadas nos templos não esclarecem questões bem formuladas deixando estes espíritos com o contentamento de que Deus quis assim, aceite e pronto, porém por meio destes estudos muitas dessas perguntas já estão sendo respondidas.

Fica a critério pessoal a decisão de averiguar ou não estas fontes. Afinal ninguém é capaz de despertar ninguém, é o espirito que apresenta receptividade ou não ao conhecimento que lhe é exposto. Namastê!

Rodrigo Santana Costa é professor e escritor. Publicou a obra: “Clarecer” em verso e prosa.

ESCREVA SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui