Bancada evangélica também se posiciona contra flexibilização da posse e porte de armas

Apesar de integrar a base governista, a bancada evangélica na Câmara dos Deputados pretende se juntar aos partidos de oposição para derrubar o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro que facilita o acesso e o porte de armas de fogo. O incentivo ao uso de armas de fogo é um dos principais pontos de discordância entre os evangélicos e o governo.

Foto: Brasil 247

Apesar de integrar a base governista, a bancada evangélica na Câmara dos Deputados pretende se juntar aos partidos de oposição para derrubar o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro que facilita o acesso e o porte de armas de fogo. O incentivo ao uso de armas de fogo é um dos principais pontos de discordância entre os evangélicos e o governo.

Até o momento, PSOL, PT e Rede já apresentaram projetos que pretendem a revogação total do decreto. A bancada evangélica porém, não pretende usar estes projetos como base, mas sim elaborar uma iniciativa própria. “Estou conversando com vários deputados, e já temos vários que vão apoiar sim o decreto legislativo, desde que não seja apresentado por partidos de esquerda. Não apoiamos nada do PT. Se for do PT não terá nosso apoio”, afirmou ao jornal O Globo o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), ligado à Assembleia de Deus Vitória em Cristo, liderada pelo pastor Silas Malafaia.

Apesar da bancada ainda não ter discutido o tema formalmente, integrantes da base governista avaliam que a força representada por este segmento na Câmara representa um risco real á inciativa do governo Bolsonaro.

ESCREVA SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui