Brasil gasta mais com o Judiciário do que com ciência e tecnologia

Renato Janine comenta o caso de um procurador de Minas Gerais que considera o salário de R$ 24 mil um “miserê”

Foto: USP

Renato Janine comenta o caso de um procurador de Minas Gerais que considera o salário de R$ 24 mil um “miserê”



 

Você acha que um salário de R$ 24 mil pode ser considerado “miserável”? Nesta semana, o colunista Renato Janine Ribeiro comenta um áudio que circulou nas redes sociais: um membro do Ministério Público Federal de Minas Gerais diz que este valor é um “miserê” e que precisaria reduzir os gastos do cartão de crédito de R$ 20 mil para R$ 8 mil.

O professor Janine lembra que o Brasil é um dos países que mais gastam com o Poder Judiciário: cerca 1,5% do PIB. “Isso é mais do que gastamos com ciência e tecnologia”, diz o colunista.

Em países como Estados Unidos, França, Rússia e Colômbia é exatamente o contrário e não é à toa que alguns deles são altamente desenvolvidos. Eles investem muito mais em ciência e tecnologia e muito menos no Judiciário. Para o colunista, ainda é mais sério o fato de que o Brasil não chega a gastar 6% do PIB com educação.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Ética e Política.

ESCREVA SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui