Em livro, doleira diz que Marcelo Odebrecht recebia visitas periódicas de bispo

“A imperatriz da Lava-Jato”, livro da doleira Nelma Kodama sobre bastidores na prisão da Lava-Jato, está para sair.

Foto: Reprodução / Instagram

“A imperatriz da Lava-Jato”, livro da doleira Nelma Kodama sobre bastidores na prisão da Lava-Jato, está para sair. Na obra, Kodama conta, por exemplo, que os presos eram visitados por pastores e padres. De acordo com o Radar de Veja, o livro conta que Marcelo Odebrecht, o “príncipe”, recebia periodicamente a visita de um bispo.

A doleira Nelma Kodama é um dos primeiros alvos da Lava Jato. Ela foi presa em março de 2014 quando tentava embarcar para a Itália com 200 mil euros não declarados. Segundo a força-tarefa, a ex-amante do também doleiro Alberto Youssef comandava desde 2012 um esquema de corrupção e evasão de divisas.

Condenada ainda em 2014, Nelma Kodama deixou a cadeia menos de dois anos depois, em junho de 2016, após fechar um acordo de delação premiada. Ela permaneceu monitorada por uma tornozeleira eletrônica até o mês passado, quando recebeu autorização da Justiça para retirar o equipamento.

ESCREVA SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui