Força-tarefa descobre e-mails que revelam cobranças de propina de analista da Receita

Os investigadores contaram com a colaboração do Google e de uma operadora telefônica, a partir da quebra de sigilo telemático autorizada pela Justiça.

Foto: Agência Brasil

Ficou comprovado pela força-tarefa da operação Lava-Jato a relação entre o e-mail “projetoalfredo@gmail” e o analista tributário da Receita Federal Marcial Pereira de Souza. A investigação apontou, de acordo com O Globo, que o endereço era utilizado para cobrar propina de empresários em troca do cancelamento de multas milionárias por sonegação fiscal.

Os investigadores contaram com a colaboração do Google e de uma operadora telefônica, a partir da quebra de sigilo telemático autorizada pela Justiça.

Usada como prova cabal pelo Ministério Público Federal (MPF) para a prisão do analista da Receita,

Uma das mensagens enviadas ao contador Rildo Alves da Silva, que foram usadas como prova cabal pelo MPF, acertava os pagamentos de propina e  revela a pressão de Marcia  para receber os valores acertados. Ainda conforme O Globo, nela, Marcial assegura que a fiscalização de Ricardo estaria “sob controle”.

“O documento que você recebeu é bem claro. Trata-se do calendário 2013. Sinalização maior que está controlado não há. Combinamos que toda correspondência recebida e por ele enviada (desta outra etapa) nos seria repassada. Até o momento não nos foi repassado nada. Por fim, os valores acertados ainda não foram pagos”, diz e-mail enviado no dia 25 de outubro de 2018.

ESCREVA SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui