Forças Armadas da Bolívia pedem renúncia de Evo Morales (VÍDEO)

"Depois de analisar a situação de conflito interno, sugerimos que o presidente do Estado renuncie ao seu mandato presidencial, permitindo a pacificação e manutenção da estabilidade para o bem de nossa Bolívia", disse o oficial militar em entrevista coletiva.

AGÊNCIA BRASIL Image caption

O comandante em chefe das Forças Armadas da Bolívia, Williams Kaliman, fez um comunicado neste domingo (10) pedindo a renúncia do presidente Evo Morales.

Kaliman solicitou a renúncia  para “pacificar as ruas” e “garantir a vida e a segurança da população”.

“Depois de analisar a situação de conflito interno, sugerimos que o presidente do Estado renuncie ao seu mandato presidencial, permitindo a pacificação e manutenção da estabilidade para o bem de nossa Bolívia”, disse o oficial militar em entrevista coletiva.

Neste domingo, a Organização de Estados Americanos (OEA) disse que houve irregularidades nas eleições ocorridas no último dia 20 de outubro e recomendou que fosse realizado outro pleito.

Pressionados pelos protestos que ocorrem em várias cidades do país, Evo Morales acatou p pedido e decidiu convocar novas eleições.

“[Decidi] convocar novas eleições nacionais que mediante ao voto permitam ao povo boliviano eleger democraticamente suas novas autoridades, incorporando novos atores políticos”, afirmou Morales.

Mais cedo, Morales disse a uma rádio que não renunciaria.

“Tenho um papel constitucional, termino minha administração em 21 de janeiro do próximo ano. Aqueles que insinuam [sobre a renúncia] estão com um golpe de estado”, afirmou.

ESCREVA SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui