O banquete esotérico parte II

PLUVÍDIO_ E depois que você ficou do lado do aluno, eles se interessaram em saber que povo era esse que veio antes de Cristovão Colombo?

Foto: Google

O BANQUETE ESOTÉRICO

PARTE II

PLUVÍDIO_ E depois que você ficou do lado do aluno, eles se interessaram em saber que povo era esse que veio antes de Cristovão Colombo?

HIPÓTELES_ Não! Mas assim que saí da sala, o garoto que tinha opinado veio ter comigo e perguntou: Quem foram estes povos? Quando vieram? E eu respondi: Foram os Vikings! Vieram 500 anos antes da chegada de Cristóvão Colombo.

PLUVÍDIO_ Então o garoto faz parte daquele grupo de espíritos que não cessam de buscar o saber por que só conseguem ser assim.

HIPÓTELES_ A reação dele me leva a crer que sim. Basta agora convidá-lo para a iniciação e observar se ele vai desafiar tudo aquilo que ouviu a vida inteira para alcançar os mistérios. Caso contrário, ele será mais um adormecido.

PLUVÍDIO_ Exato, pois segundo Albert Einstein: “Quem não se entusiasma pelo mistério já está praticamente morto”.

HIPÓTELES_ Eu penso que pela reação que ele teve sobre a História Oficial será fácil a recepção do lado oculto da história da humanidade, todavia para ele transmutar do Mitos Ilusório para o Logos Iluminador dará mais trabalho.

PLUVÍDIO_ Mais desde as iniciações antigas que existe essa possibilidade de muitos ficarem pelo caminho.

HIPÓTELES_ Estais correto no que dizes, pois foi assim com a iniciação de Rama – Krishna – Hermes – Moisés – Orfeu – Pitágoras – Platão – Jesus.

PLUVÍDIO_ Envie a carta para o jovem! Nós temos que continuar tentando.

HIPÓTELES_ Assim o farei hoje mesmo.

PLUVÍDIO_ Se ele decifrar o código, encontrará a câmera secreta da Escola dos Mistérios.

HIPÓTELES_ Não seja tão presunçoso com relação ao jovem! As forças contrárias são muito ardilosas em suas armadilhas. Lembra do que aconteceu com último jovem iniciado?

PLUVÍDIO_ Sim, e como sempre fica a lenda distorcida pelos povos que transmitem a história a sua maneira, pois a lenda não diz o que o príncipe estava procurando. E o termo “caçando” sugere procura de animais.

HIPÓTELES_É. E dormir na sombra da Cabeça da Esfinge fica parecendo que ele caçou tanto os animais que ficou cansado e resolveu deitar para descansar.


 

Rodrigo Santana Costa é professor e escritor. Publicou a obra: “Clarecer” em verso e prosa.

 

ESCREVA SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui