Talles Magno brilha na vitória do Vasco sobre o São Paulo em São Januário

Talles Magno comemora com Danilo Barcelos o primeiro gol do Vasco Foto: Guito Moreto / Globo - Esportes

Talles Magno comemora com Danilo Barcelos o primeiro gol do Vasco Foto: Guito Moreto / Globo - Esportes

Gustavo Loio

Em tarde de nova iluminação em São Januário, a torcida do Vasco viu a melhor atuação de Talles Magno, aos 17 anos, em sete jogos como profissional. E seu primeiro gol, o que abriu o triunfo por 2 a 0 sobre o São Paulo, que vinha de cinco vitórias seguidas.

Se o camisa 43 vascaíno, que estreara como profisisonal em casa, foi quem mais brilhou, Marrony, que voltava de suspensão, foi um coadjuvante de luxo na quarta vitória seguida do time na Colina.

Com 18 minutos, eram três finalizações para o time de Luxemburgo. Na melhor delas, Marrony passou por dois marcadores e chutou com muito perigo, aos seis.

O camisa 38 vascaíno fez outra boa jogada aos 28. Em contra-ataque, saiu do meio de campo, deixou dois são-paulinos na saudade, mas, de novo, chutou para fora.

Raul, um dos quatro volantes vascaínos que iniciaram o jogo, também apareceu bem no ataque.

A equipe de Cuca ainda não tinha chutado ao gol de Fernando Miguel quando, aos 35, Raniel foi expulso por levantar o pé na cabeça de Richard, em decisão polêmica de Anderson Daronco. Após consulta ao VAR, o árbitro optou pelo cartão vermelho, numa jogada em que o amarelo não seria exagero.

Mesmo com um a menos o São Paulo finalizou pela primeira vez aos 44. Everton girou na entrada da área, bateu no canto direito, e o camisa 1 da Colina defendeu em dois tempos.

Quatro minutos depois, Talles recebeu na área, mas chutou por cima, desperdiçando a melhor oportunidade antes do intervalo.

Recuperado de operação após uma apendicite Rossi, que não jogava desde a vitória sobre o Goiás (1 a 0) no último dia 11, foi a campo desde o início do segundo tempo.

E logo no primeiro lance, o camisa 7 da Colina levantou a torcida. Talles rolou para Marrony, que foi à linha de fundo e cruzou. Rossi pegou de voleio, por cima do gol.

A superioridade foi traduzida em gol aos 11. Danilo Barcelos cobrou escanteio, Castan cabeceou para Talles, que ajeitou e tocou sem chances para Tiago Volpi.

Principal peça do ataquedo São Paulo, Antony, lesionado, deixou o campo aos 15 minutos.

O time de Luxemburgo, por sua vez, diminuiu o ritmo. E só voltou a assustar aos 32, em contra-ataque que Fellipe Bastos lançou Rossi. O camisa 7 invadiu a área em velocidade, mas chutou em cima de Volpi.

Mas, para alívio da torcida, os donos da casa ampliaram três minutos depois. Danilo Barcelos cruzou e Fellipe Bastos, que entrara sete minutos antes, pegou de primeira.

Daí até o final, o Vasco ainda se deu ao luxo de desperdiçar boas chances de ampliar. Mas a festa já estava garantida na Colina. Com direito a “olé” da torcida.

 

 

ESCREVA SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui