Vida e morte newleftina

Uma refém foi libertada e caiu no asfalto, era uma senhora negra, de meia idade que foi prontamente socorrida pelos policiais.

Foto: Facebook Felipes Quintas

VIDA E MORTE NEWLEFTINA – por Rubem Gonzalez

Uma refém foi libertada e caiu no asfalto, era uma senhora negra, de meia idade que foi prontamente socorrida pelos policiais. Procuro desesperadamente notícias sobre o seu estado de saúde nas milhares de páginas e sites da new left, do PSOL e dos lacradores e até agora não achei uma vírgula sequer sobre a mesma.

Como também nada sei da vida, do destino e das agruras dos 37 passageiros que passaram pelo trauma do sequestro, estudiosos e especialistas de segurança com mestrado em ar condicionado e doutorado em cannabis já discorreram quilômetros de postagens contra o estado malvadão, o governador sádico e o sequestrador vítima do sistema, mas nada sobre as vítimas.

Ontem definitivamente acho que foi a pedra tumular da esquerda namastê, foi o canto do cisne necessário para que os últimos esperançosos de que ainda haveria salvação para essa esquerda se tocarem e partirem em frente, é impossível num regime democrático você ignorar o pensamento, o sofrimento e a aflição de uma população inteira.

Ontem a new left oficialmente se inaugurou como uma ideologia própria, totalmente avessa aos preceitos históricos da verdadeira esquerda, a esquerda de luta de classes e defesa intransigente dos trabalhadores, a total falta de empatia pelas vítimas, pelos profissionais de segurança pública de verdade que tomaram as medidas necessárias para a preservação das vidas das vítimas é o seu novo lema.

Uma luta isolada pelo identitarismo e pelo folclórico apego ao crime, aos atos criminosos e a marginália que invade a nossa sociedade é o seu traço mais marcante, o apego ao mau feito, ao que causa dolo e dano parece ser a sua via preferencial apostando numa revolução que ele mesmo não tem culhões de fazer, apostam no caos para que por mágica dele renasça um reino de Nárnia com sexo e drogas livres.

Sorry New Left identitária, não há almoço grátis, nem aqueles pagos pela fundação Ford, pelo George Soros e mais recentemente pelo Jeff Bezos sua Amazon e outros menos votados, o resultado de sua contracultura anárquica e calcada em mesadas, DCEs, pós graduações, doutorados pagos pelo erário público e boquinha em ONGs já foi descoberto, hoje vocês são uma tribo bem identificada, não adianta se disfarçar de Guaranis Kaiwoas.

A nota triste é saber que praticamente toda a esquerda vai para a sepultura ou habitará a UTI da política nacional por várias décadas juntos com vocês, que a retomada do poder por alguém de viés socialista e algo hoje tão inalcançável quanto a lua foi para os farsantes ianques no século passado, saber que vocês hoje são o principal combustível da direita, o seu principal ponto de apoio para com sua ajuda manter o nosso povo sem escolha e escravo.

Ah, parabéns a polícia militar do estado do Rio de Janeiro que fez o que foi necessário para manter a paz e a ordem na sociedade, se este rapaz optasse por se pendurar no vão central da ponte Rio Niterói ameaçando se jogar o aparato oficial seria o mesmo, só que ninguém iria com snippers para lá, a escolha foi dele e desfecho uma escolha sua também, a vida é assim, feita de escolhas…….

Ahhh ia esquecendo, uma ajuda em anexo para especialistas em segurança de teclado e de ONGs, uma arma de brinquedo é diferente de uma arma falsa ou simulacro, um simulacro não é uma arma de brinquedo, abaixo seguem as fotos de armas para dirimir dúvidas…

ESCREVA SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui